Ano novo, vida nova

Por Dilvan Coelho

Na maioria das cidades brasileiras a esperança se renovou com os prefeitos que tomaram posse no primeiro dia do ano de 2013. A eleição para prefeito é a que mais envolve emocionalmente a população, superando em expectativas as eleições para presidente da república e governadores. O que se dá, possivelmente, pelo desejo de ver solucionados problemas como a violência, que está tomando conta da vida diária de todos os cidadãos, mais até do que as questões que envolvem a saúde, a educação e a geração de empregos e rendas, sendo que o prefeito é a figura responsável mais próxima. No entanto, é sabido que a segurança é problema de Estado, ocorre que os prefeitos não podem cruzar os braços e ficarem omissos diante desta situação.

A volta de quem nunca foi

Estou voltando a escrever minha coluna semanal. Desta vez será divulgada em mais de um órgão de imprensa. Não mais usarei pseudônimo, como de outras vezes. A primeira coluna que escrevi – sem pseudônimos – foi para o jornal “Cidade”, e permaneci durante um bom tempo. Em outros, escrevi usando nomes fictícios; alguns se tornaram bastante conhecidos, mas não os revelarei.

Campanhas da última eleição

Tivemos participação direta em seis campanhas políticas na última eleiçãopara prefeito: Porto Seguro, Itamaraju, Nova Viçosa, Caravelas, Lajedão e Maiquinique, no Sudoeste da Bahia. Infelizmente, não chegamos até o final em duas delas: Porto Seguro e Nova Viçosa. Por razões éticas, preferimos não esclarecer os motivos que nos fizeram não concluir a campanha. Portanto, mesmo não finalizando, temos que contabilizar como duas derrotas nesta eleição.

A importância do marketing

Cada vez mais as campanhas políticas estão se profissionalizando. Não se faz campanha sem emoção, entretanto, dificilmente se ganha sem racionalidade e planejamento, mesmo nas pequenas cidades. De um modo geral, o sucesso de uma campanha depende do momento e da técnica. O mais difícil é entender o momento, o que significa saber qual é o sentimento dominante da população. A partir destas informações é que se definem as estratégias de marketing.

Adversários x Inimigos

Já falei sobre esse assunto em outras oportunidades: “Não caia na tentação de tratar adversários como inimigos. O adversário de hoje pode ser o aliado de amanhã. A disputa entre adversários pode e costuma ser dura. Entre adversários, não existe ódio. O que distingue o conflito entre adversários e inimigos é a presença do ódio como fator dominante e como motivação principal. A política, pela sua natureza competitiva e pela forma pública que esta competição assume, é um campo de atividades onde proliferam adversários e inimigos”. “Mil amigos não são suficientes, um inimigo já é. Não existe inimigo inofensivo”.

Aviso aos navegantes

Se ganha a eleição com todos e governa-se com os bons. O presidente da maior potencia do mundo, Barack Obama,afirmou: “Livre-se dos bajuladores. Mantenha perto de você pessoas que te avisem quando você erra”. Plutarco, que viveu no início da Era Cristã, escreveu um livro advertindo que os maiores inimigos do homem são os bajuladores. Ocorre que os bajuladores isolam quem está no poder e issotem levado, ao longo da história, muitos governantes ao fracasso.

Cem dias é a tolerância!

Todo governante tem direito a cem dias de tolerância. No caso específico de Teixeira de Freitas, o novo prefeito precisará de um tempo maior de tolerância. Os eleitores que votaram no novo gestor são mais tolerantes, por isso, devem conviver um ano em lua de mel. Além disso, a equipe de governo precisa ser competente para tirar a cidade do caos.

 

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui