Aglomerações

No meio da calmaria ou da tempestade, temos que seguir em frente, a mídia joga fragmentos de informações sobre a vacina. A segurança não chegou e a realidade crua é ainda mil mortes por dia.

As pessoas não gostam da limitação da liberdade e estas manchetes dos jornais, com a contradição “Óbitos e aglomerações aumentam” demostra ansiedade no pensamento, entre o que deveria ser a realidade e o que ela realmente é.

A vida desaparecendo pela falta de opções no confinamento, querem ver os passarinhos voando entre as árvores, querem o encantamento do outro, e nós também desejamos nosso saco de emoções e novidades, mas, para um sentir a mão do outro, precisamos nos agarrar na ciência.

Não convém pensar muito em festas com multidões neste momento. Erga a cabeça e pense neste ar que você inspira e que entra-lhe pelo peito a vulgar realidade do perigo, ele ainda está aí, nestes dias de agosto.

E a vida nem sempre é justa e é absolutamente imprevisível, e pode ser para você ou um parente seu, começe a desconfiar que esta sozinho e abandonado trancado do lado de fora da vida em uma UTI.

*João é natural de Salvador, onde reside. Engenheiro civil e de segurança do trabalho, é perito da Justiça do Trabalho e Federal. Neste espaço, nos apresenta o mundo sob sua ótica. Acompanhe no site www.osollo.com.br.

1 COMENTÁRIO

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui