O Joãozão em Teixeira

Em Teixeira de Freitas estava sendo programada uma festa de São João que teria o nome de JOÃOZÃO, referência ao São Pedro realizado anualmente em Eunápolis, que se tornou conhecido nacionalmente devido a sua grandiosidade, cujo nome é PEDRÃO. Em Teixeira foi decretado estado de emergência, prorrogado por mais 180 dias, para sanar os problemas encontrados nos serviços essenciais, como saúde e educação. Por isso, o prefeito tomou a decisão prudente de não realizar mais a festa junina para evitar os gastos públicos. Uma atitude elogiável.

 

O prefeito de Caravelas foi afastado do cargo por um período de até 180 dias para apuração de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) que corria sob o sigilo de Justiça e investiga um suposto superfaturamento para realização de eventos festivos. Na mesma sentença, a juíza decidiu pelo bloqueio dos bens de todos os envolvidos e determinou que o vice-prefeito David Oliveira fosse empossado imediatamente pela Câmara Municipal. O prefeito deve recorrer da decisão judicial da Drª Nêmora Janssem de Lima. Acredita-se que ele volte ao cargo sob a força de liminar proferida pelo TJ da Bahia. Porém, é bom os prefeitos colocarem as barbas de molho.

Candidaturas proliferam

As candidaturas a deputado estadual em Teixeira de Freitas estão se proliferando igual erva daninha. Só do lado do prefeito, isto é, dos aliados da campanha, existem sete possíveis candidatos: o radialista Lucas Bocão, o secretário Henrique da Ceplac, a secretária Erlita de Freitas, o vereador Edinaldo Rezende, o vice-prefeito Gilberto do Sindicato, o advogado Gean Prates e o ex-vereador Gel Lopes. Da oposição, os nomes mais certos são: deputado Temóteo Brito, secretário Wilson Brito e a ex-vereadora Marta Helena. Ao todo, dez pré-candidatos; resta saber quantos chegarão até a campanha.

ACM Neto apoia Dilma

Muito se tem falado sobre o apoio do prefeito de Salvador, adversário histórico do PT, à candidatura de Dilma a reeleição. Se ele fosse o candidato a governador – as pesquisas têm mostrado – seria o franco favorito. No programa do DEM que aconteceu no dia 6 de junho, ele foi a principal estrela e não bateu no governo. O afiado opositor de um ano atrás, ao contrário da expectativa, decidiu não mais bater no governo da presidente Dilma Rousseff no programa oficial do partido na TV.

Sucessão na Bahia

Segundo os próprios caciques do PT nacional, o partido teria dificuldades de eleger o governador em dois Estados –Bahia e Rio Grande do Sul. Porém, na Bahia, o governador Jaques Wagner será o grande influenciador do processo sucessório. Da base aliada, o nome que reúne mais condições de neutralizar a oposição é o do vice-governador Otto Alencar, que agrada a gregos e troianos. Como Wagner deve sair do governo para disputara eleição de deputado federal, Otto Alencar ocupará o cargo e pode disputar a reeleição como governador, no entanto, se for candidato ao Senado terá que também renunciar aos cargos que exerce.

ACM Neto segue o caminho do Avô

O fato é que ACM Neto seria o candidato ideal da oposição para enfrentar o candidato oficial do governo na Bahia, entretanto, prefere consolidar uma posição de executivo como prefeito para só depois aspirar um voo mais alto. Está seguindo o exemplo do que aconteceu com seu avô, que foi também prefeito de Salvador e se revelou como administrador para depois vir a ser um governador que marcou história na Bahia.

Este comentário foi feito no site “Bahia247”, na matéria ACM NÃO BATERÁ NO GOVERNO EM PROGRAMA DO DEM.

Os bens de Duda são liberados

Sentenciou o presidente do Supremo: “Sendo assim, defiro o pedido de restituição das coisas apreendidas e de levantamento de todas as medidas constritivas patrimoniais (sequestros e hipotecas legais) relativas aos réus absolvidos”, decidiu Joaquim Barbosa.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui