Aécio recebia ‘mesada’ de R$ 50 mil de Joesley Batista

Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil

Contratos de publicidade entre a JBS e a rádio Arco Íris, afiliada da rede Jovem Pan em Belo Horizonte, eram fachada para o pagamento de uma “mesada” no valor de R$ 50 mil do empresário Joesley Batista ao senador Aécio Neves (PSDB).

O empresário deu a declaração em complemento feito em acordo de delação premiada junto à Procuradoria-Geral da República (PGR), segundo informou o jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com a publicação, o pagamento era “para o custeio mensal das despesas” do tucano. Junto com o depoimento, Joesley entregou 16 notas fiscais emitidas pela rádio – na qual Aécio era sócio da irmã, Andrea Neves – que trazem a JBS como a empresa contratadora da publicidade.

O empresário diz que não sabe se em algum momento foram veiculadas publicidades do seu grupo, mas que a finalidade dos pagamentos, que somaram R$ 864 mil, era pagar propina à família do senador tucano. Nesta semana, Aécio Neves se tornou réu no Supremo Tribunal Federal (STF) acusado de pedir 2 milhões de reais em propina ao mesmo Joesley, a partir de gravações de áudio feitas pelo empresário.

Neste caso, Aécio diz que o valor – pago em dinheiro vivo, em quatro parcelas semanais de R$ 500 mil reais – era um empréstimo pessoal pedido por ele a Joesley para arcar com o custo de sua defesa em processos da Operação Lava Jato.

Ele também argumentou que negociava com o empresário a compra de um apartamento, avaliado em R$ 40 milhões, que pertence à sua mãe e fica no estado do Rio de Janeiro.

Batista e outros seis executivos do grupo J&F, que controla a JBS, formalizaram um acordo de delação premiada em maio de 2017. Em agosto, depois da revelação da existência de omissões nos depoimentos, o empresário fez um complemento para tentar manter o acordo.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui