Adolescente é estrangulada pelo namorado

A garota de 16 anos desapareceu em Ilhéus e o acusado do crime contou como a matou e, em seguida, escondeu o corpo. O motivo, segundo ele, foi ciúme

Ilhéus – As dúvidas que pairavam sobre a morte da jovem Jaqueline Jesus de Lima, de 16 anos, assassinada em Ilhéus, Sul da Bahia, já não existem mais. Ubirajara Santos Souza, de 30 anos, acusado de assassiná-la na última quarta-feira, foi preso no início da tarde de ontem, no cemitério da cidade, quando tentava ter acesso ao corpo da vítima.

De acordo com os policiais da delegacia local, Ubirajara confessou o crime e afirmou ter assassinado a jovem por ciúme. Ele teria desconfiado que Jaqueline teria um caso com outro homem e decidiu se vingar. “Na quarta-feira, os dois foram para uma festa. Ele perguntou se a adolescente estava ficando com outro cara e ela se negou a responder. Irritado, ele a matou”, disse um dos investigadores responsáveis pelo caso. Durante o depoimento, Ubirajara afirmou também ter consumido álcool e drogas momentos antes de cometer o assassinato.

Após o crime, o acusado escondeu o corpo da namorada. Ele chegou a ser questionado por familiares de Jaqueline sobre o desaparecimento da jovem, mas sempre desconversava e inventava desculpas para o sumiço da companheira. “A família da adolescente estava preocupada e perguntava onde ela estava, mas ele sempre dizia que a namorada estava trabalhando. Desconfiados, os parentes dela acionaram a polícia. Ubirajara então fugiu da região com medo de ser preso e só reapareceu nas primeiras horas da tarde de ontem, quando foi detido”, afirmou o investigador.

O corpo de Jaqueline só foi encontrado no domingo, já em estado avançado de decomposição, no fundo da casa em que o casal morava, nas imediações da BA-262 (Ilhéus – Uruçuca), no bairro Novo Ilhéus. Segundo os policiais que apuraram o caso, o cadáver apresentava pequenas perfurações, mas a suspeita é de que a jovem tenha sido estrangulada até a morte.

Ubirajara já tinha passagem pela polícia por furto, roubo e desordem, além de ser suspeito de outro assassinato ocorrido na região. Autuado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver, ele pode pegar até 30 anos de prisão.

Fonte: Thiago Pereira / Tribuna da Bahia

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui