Academia Teixeirense de Letras empossa novos diretores para o próximo biênio

Reeleitos como presidente Gilmar Ferraz da Silva – Almir Zarfeg – e vice-presidente Athylla Borborema. Fotos: Elizeu Portugal/OSollo

A Academia Teixeirense de Letras (ATL) realizou uma sessão solene aberta ao público na noite dessa quarta-feira (15). Alunos da rede pública, professores e autoridades se reuniram no plenário da Câmara dos Vereadores de Teixeira de Freitas e prestigiaram homenagens e a posse da nova diretoria para o biênio 2018/2019.

A programação contemplou ainda a diplomação do Concurso de Poesias dos 35 Anos do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos; a apresentação do busto do patrono-geral da ATL, Castro Alves; a convocação para o volume 03 da antologia “ATL em Verso e Prosa!”; uma homenagem aos escritores participantes da 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo e  uma palestra com Zé da Baiana, diretor do Espaço Cultural da Paz.

Houve a apresentação do busto do patrono-geral da ATL, Castro Alves

A assembleia-geral para eleição da nova diretoria e conselho fiscal do biênio ocorreu no dia 08 de junho. A chapa única reeleita tem como presidente Gilmar Ferraz da Silva – Almir Zarfeg, vice-presidente Athylla Borborema, secretária-geral Cristhiane Ferreguett, e a inclusão do acadêmico Carlos Alberto Almeida como tesoureiro. Para o Conselho Fiscal, os seguintes: Marcus Aurelius Sampaio, José Elias Botelho e João Carlos de Oliveira.

O evento acadêmico teve a celebração dos 25 anos da 1ª edição do livro “Amor à Paz”, do confrade vice-presidente Athylla Borborema. A obra acaba de ganhar uma 2ª edição e, segundo ele, o sentimento é grandioso. “Eu costumo dizer que tenho três grandes paixões na minha vida: o rádio, os animais e a literatura. Depois de uma longa carreira como escritor, o sentimento é de dever cumprido, de prazer, de querer fazer mais pela nossa cultura”, disse.

A noite ganhou ainda uma apresentação musical e poética com o repentista Nilton Alves, o “Manchinha”, de Alcobaça. Homenageado e aplaudido calorosamente, falou da alegria em participar da sessão. “É um prazer imenso ter essa oportunidade. Me sinto agraciado por Deus. Sou poeta, compositor, faço improviso e quero agradecer à professora Cristhiane [Ferreguett] e a Deus por me dar esse dom gratuito”, comentou a’O Sollo.

Um número expressivo de pessoas acompanhou toda programação

Refletindo um pouco do pensamento de toda diretoria, a professora e secretária-geral Cristhiane Ferreguett falou da sua participação na ATL, como exemplo e incentivo a seus alunos, como os acadêmicos do quinto e sétimo períodos do curso de Letras/Português da Universidade do Estado da Bahia – Campus X, que também estiveram presentes.

Os dois primeiros anos foram muito férteis no sentido de incentivar a produção através dos concursos externos e internos. Inclusive, me incentivou. Eu nunca havia escrito poesia. Hoje, estou muito feliz por trazermos um homem do povo, pescador, repentista, que é o ‘Manchinha’. A Academia é isso: a mistura da arte popular com a erudita, mistura de saberes, que nos motivam a continuar nesse trabalho”, disse.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui