A Saúde é crônica

O maior problema do Governo de João Bosco é a Saúde, vários fatores contribuem para que esse problema seja de difícil solução. O maior agravante foi o convênio firmado com os 13 municípios, isso provocou a demanda de uma população de cerca de 700 mil pessoas. A estrutura existente hoje é praticamente a mesma de mais de 30 anos, com exceção da UTI, que foi implantada no governo do padre. Na atual gestão tem se conseguido alguns avanços, recentemente, foi liberada uma verba de R$ 3 milhões para ampliação das instalações e aquisição de mais equipamentos. Outro fator importante é a quantidade de médicos existentes, que mesmo com a chegada de nove médicos cubanos, ainda é pouco.

Esgotamento Sanitário

A obra mais importante para qualquer cidade é o sistema de esgotamento sanitário. Teixeira de Freitas está recebendo um sistema completo que atingirá 75% da cidade, com 174 km de rede de esgoto, com oito estações elevatórias e uma estação de tratamento completa, uma obra de 80 milhões de reais, que já está sendo testado. Porém, a obra que está ao encargo da empresa MRM sob a fiscalização da Embasa vem causando muitos transtornos à cidade. Por conta disso, a Câmara de Vereadores convocou uma reunião aberta ao público, com a presença da imprensa, e cobrou dos responsáveis providências urgentes, inclusive, ameaçou tomar medidas drásticas.

Recursos do PAC

Foi aprovado no Ministério das Cidades para Teixeira de Freitas R$ 222,7 milhões, sendo que R$ 185 milhões foram para saneamento integrado. O secretário de Planejamento de Teixeira, Dr. Rogério Augusto, advertiu na reunião da Câmara de Vereadores que o Plano de Saneamento tem que ser aprovado pela Câmara, até o dia 12 de dezembro, caso isso não aconteça, as verbas não serão liberadas pelo Ministério das Cidades. Ocorre que o Plano ainda está sendo elaborado pelo Conselho Municipal de Saneamento sob o comando da Secretaria de Planejamento. Vamos acreditar que o competente secretário agilize o projeto.

Obras inacabadas

O maior legado que o ex-prefeito de Teixeira de Freitas deixou foi uma série de obras inacabadas devido à malversação do dinheiro público. O Padre governou sem a cobrança da população, que ficou anestesiada porque o prefeito foi protegido pelo manto da batina. Com isso, passou para a população a imagem de honesto. No entanto, por esta razão, seu secretariado agiu sem ser molestado pela população e as consequências foram graves; quem paga por isso é o povo. O mais importante de um gestor não é só ele não roubar, é não permitir que roubem. Fica a lição; é importante que o povo fiscalize.

O Foco comemora

A página “Foco no Poder” comemora o feito de ter alcançado o número de seis mil curtidas no Facebook. Isso significa que cerca de dois milhões de pessoas espalhadas por mais de 50 países do mundo estão tendo acesso ao “Foco”. Desde a sua criação, o Foco definiu como objetivo: debater, opinar e compartilhar sobre o contexto político, com imparcialidade. Deixando bem claro que o nosso trabalho não tem o objetivo de estar ao lado deste ou daquele político. Estaremos de olho no comportamento dos políticos, sem, contudo, perder o foco nos interesses comunitários. Acreditamos que estas são as principais causas do nosso sucesso. O “Foco” agradece!

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui