A história de Zaqueu deve ser a nossa

Mas Zaqueu levantou-se e disse ao Senhor: Olha, Senhor! Estou dando a metade dos meus bens aos pobres; e se de alguém extorqui alguma coisa, devolverei quatro vezes mais.” (Lucas 19.8)

A presença de Deus nos muda. É impossível não mudarmos se andamos com Deus. A presença de Deus na vida é expressão de graça, aceitação e misericórdia. Numa palavra: amor! Amor como o amor de fato é e deveria ser entre nós. A história de Jesus com Zaqueu nos revela isso.

O publicano que queria ver Jesus, que queria saber quem era o famoso rabino de Nazaré, aquele rabino estranho que se aproximava de quem os religiosos apenas queriam manter distância, acaba surpreendido. Ele queria ver Jesus e, se possível, conhecê-lo, e descobriu que era visto e conhecido pelo Mestre. Imagino o susto! Jesus olhou para Zaqueu e lhe disse, chamando-o pelo nome, que gostaria de ser seu hóspede naquela noite. E assim aconteceu.

Estar com Jesus mexeu completamente com Zaqueu e ele decidiu fazer mudanças. Que conversa teriam tido? O que Jesus falou durante o jantar? Creio que podemos saber lendo o Sermão do Monte. Jesus lhe mostrou uma nova perspectiva para a vida. Uma nova forma de compreender a existência mudou o modo como Zaqueu pensava em si e nos outros. Em lugar de avareza, generosidade. Em lugar de egoísmo, altruísmo.
Alguém já disse que ninguém tem mais poder para nos mudar do que a pessoa que nos aceita como somos. E eu concordo. Porque não há prova tão contundente de amor como a aceitação. E isso nos transforma. Deus é assim. Ele é capaz de seguir nos amando apesar de nossa resistência à sua vontade ou de nossa insistência em fazer a nossa. Ele nos ama mesmo quando falhamos em manter as promessas que fizemos. Há momentos que nos julgamos tão bons ou nos sentimos tão culpados, que negociamos com Deus: fazemos promessas.

Somos pecadores e podemos diferir nos pecados, mas todos nos desviamos de Deus e jamais poderemos fazer algo que nos torne merecedores de Sua presença. O que nos salva é o amor que Ele tem por nós. Crer com todo nosso ser neste amor nos transforma. E quando cremos assim no amor de Deus, na graça sem fim, não nos acomodamos no pecado, assumimos nossa pecaminosidade e começamos a ser conquistados pela santidade.

Diálogos e desafios fazem parte desse processo e mudanças serão irresistíveis. Não as que a religião prescreve, mas as que Deus promove. Olhe para a história de Zaqueu! É isso que ela nos conta. Que a nossa história conte essa mesma história por ser fruto da mesma graça e amor divinos.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui