A benção de dar

“Dê a quem lhe pede, e não volte as costas àquele que deseja pedir-lhe algo emprestado.” (Mateus 5.42)

Em nosso mundo as coisas funcionam extremamente bem quando o assunto é vender algo. Aquele que tem algo para vender sabe e sabe inclusive se você é um potencial cliente. Pois vender significa lucrar e, na pior das hipóteses, não perder. Cada vez mais a palavra de ordem é fazer dinheiro com o que temos e quando aprendemos essa lógica, aí dificilmente conseguimos agir de outra maneira. Sempre haverá um preço em nossas coisas para que alguém possa tê-las. Bem, em princípio não é um pecado vender. Mas pode tornar-se um. Pode tornar-se um pecado que nos mantém distantes da benção da generosidade, da bondade, da compaixão e do amor. Da benção de dar.

Jesus não proibiu vender, mas incentivou a dar e, conforme o caso, emprestar. Podemos ouvir suas palavras como um incentivo, uma orientação para eventualmente aplicarmos em nossa vida. Mas também podemos reconhece-las como um mandamento e deixar que elas nos questionem. “Dê a quem lhe pede, e não volte as costas àquele que deseja pedir-lhe algo emprestado.” Seja capaz de dar. Simplesmente dar.

Quando damos, ficamos um pouco mais pobres ou menos ricos. Pelo menos na contabilidade deste mundo. Mas também ficamos um pouco mais ricos e felizes, na contabilidade do Reino de Deus. Nesta contabilidade, a do Reino de Deus, as riquezas não podem ser contadas como se fossem moedas ou precificadas como se fossem um bem terreno. No Reino de Deus, dar nos enriquece. E enriquecer nos padrões do Reino de Deus nos transforma. Aqui o rico é quem tem. Lá, o rico é quem é. Aqui, o melhor para tornar-se rico é amar as coisas. Lá, é amar as pessoas!

Há sempre algo que podemos dar. Há sempre um tanto que podemos emprestar. A ideia do texto é que estejamos dispostos a socorrer. Socorra a quem lhe pedir ajuda. Para aquele cujo coração está fechado, nunca há o bastante de modo que se possa dar. E quem assim age está perdendo, está perdendo pois há uma benção em dar. A generosidade gera felicidade. A bondade embeleza o ser e o ser embelezado é mais capaz para ver a beleza que há na vida. Mas para que conheçamos a benção de dar é preciso que nos convertamos ao dever de amar. É amando que verdadeiramente saberemos dar, emprestar, socorrer, tirar do que temos para o bem do outro.

E na medida que fizermos isso, movidos pelo amor, o faremos também com sabedoria. Eventualmente seremos enganados? Sim. Mas quem de fato está sendo enganado? Quem ama, quem se sensibiliza e dá ou se engana quem tira proveito? Não tenho dúvida: aquele que abusa da generosidade é quem está vivendo de modo enganado.

Amar é exercitar-se na virtude de dar. Peça a Deus sabedoria e coragem para ser mais generoso. Não se trata do quanto você tem! Por menos que tenha, você pode ser generoso. Perceba as oportunidades de dar e pratique a generosidade. Num piscar de olhos tudo pode acabar. E tudo que se tem irá transformar-se em nada. Não desperdice a oportunidade de viver como quem entendeu o sentido de ter.  Ame. Seja generoso.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui