44ª CIPM: indivíduos morrem em confronto com o Peto

Criminoso que matou “Pretinha” morre em confronto com o Peto. Foto reprodução/Arquivo

Por volta das 13h30 desta quarta-feira, 30 de janeiro, policiais do Pelotão de Emprego Tático Operacional (Peto), lotados na 44ª CIPM, realizavam ronda ostensiva pelo bairro Aparecida, em Medeiros Neto, quando receberam uma denúncia anônima de que dois homens estariam ostentando armas de fogo na Fazenda Geraldo Flores, próximo à ponte.

A guarnição se deslocou até o referido local e, ao chegar, depararou-se com os dois indivíduos com armas em punho. Tratava-se de Dario de Souza Xavier Neto, o “Darizinho 157”, e Iure de Jesus santos, “Docão”.

Ao receberem voz de prisão, atiraram contra os militares, que revidaram e os criminosos foram baleados. Em seguida, a guarnição prestou socorro, conduzindo-os para o Hospital Municipal, onde já chegaram sem vida.

Segundo a polícia, “Darizinho” costumava roubar fazendas da região e tinha entrado para o tráfico de drogas há menos de dois anos. Atualmente, ele atuava como pistoleiro de uma facção em que, juntamente com mais 5 elementos, são suspeitos das mortes de “Pretinha” e “Carranca”.

Na ocasião da morte de “Pretinha”, Darizinho foi visto por diversas testemunhas conduzindo a vítima para as proximidades da ponte da Sete de Setembro, minutos antes dos tiros serem ouvidos.

“Iure” (Docão) era já conhecido da polícia. No ano passado, havia sido preso na cidade de São Gabriel da Palha (ES), onde teria ido buscar drogas. Ele teria transferido toda a culpa para o taxista que o havia levado até a cidade e que ainda continua preso no referido estado.

“Darizinho” e “Docão” estariam realizando cobranças para o tráfico e planejavam matar vários desafetos. Recentemente, moradores das escadarias do bairro Amirca teriam ouvido por diversas vezes um destes gritando que iria atentar contra a vida de um outro morador da cidade que o teria denunciado em rede social.

Após saber do ocorrido, o indivíduo que havia sofrido as ameaças foi até o hospital e, ao confirmar a morte de “Darizinho”, declarou: “Após várias noites sem dormir, vou conseguir dormir em paz”.

Com eles, foram apreendidos: um revólver calibre 38, cinco munições deflagradas e uma intacta , uma garrucha de fabricação caseira, uma espingarda de calibre 44, cinco projéteis intactos e, aproximadamente, 360 reais, além de grande quantidade de drogas.

A ocorrência foi apresentada ao delegado titular da Polícia Civil de Medeiros Neto William Telles, onde foram tomadas as medidas cabíveis. Os corpos serão removidos para o Instituto Médico Legal – IML.

Com informações: Medeiros dia dia

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui